Make your own free website on Tripod.com

REGULAMENTO DE GRADUAÇÕES

 
INDICE

1. PRINCÍPIOS 
1.1. Generalidades 
1.2. Especificidades 

2. COMPETÊNCIAS E CRITÉRIOS 

  • Direcção da Federação Portuguesa de Judo
  • Comissão Nacional de Graduações
  • Comissão Regional de Graduações
  • Comissão Associativa de Graduações
  • Treinadores
Quadro 1 Síntese das Competências e Critérios 3. TÉCNICAS RECONHECIDAS 
  • Técnicas constantes do Gokyo
  • Katas
4. CARREIRA DO JUDOCA 

5. GRADUAÇÕES PELA VIA RÁPIDA 

6. CONTEÚDOS PARA EXAME DE GRADUAÇÃO 
6.1. Exame técnico 
6.2. Exame de katas 
6.3. Exame geral 

7. FORMAS DE GRADUACÃO 
7.1. Exame por blocos 
7.2. Estágios técnicos federativos 
7.3. Candidatos com deficiências físicas 

8. PROMOÇÕES POR MÉRITO 

9. EQUIVALÊNCIAS 
 

1. PRINCIPIOS 
1.1. GENERALIDADES 

     As diferentes graduações no Judo formam um conjunto na progressão dos conhecimentos do Judo. Os valores morais, a mestria técnica e a participação nas provas desportivas são o objectivo normal do ensino e do exemplo dedicado ao estudo técnico e ao treino, donde a graduação simboliza os valores do Espírito e do Corpo-Shin-Ghi-Tai (Espírito, Técnica e Eficácia). 
     A componente desportiva (Jai) é uma condição absolutamente indispensável, em particular do 1º ao 4º Dan, mas que não se basta a si própria. Outros valores essenciais devem sempre ser tomados em linha de conta, tal como um comportamento irrepreensível como atleta, árbitro, treinador, dirigente, etc., ou qualquer outro comportamento constante no Código Moral do Judo. 
     Os intervalos de tempo impostos para ascender à graduação seguinte, são considerados os tempos mínimos de maturação indispensável que devem ser efectivamente consagrados ao treino e que permitem a progressão no estudo e aprendizagem do Judo. Um ano de prática equivale a, pelo menos, 100 treinos de Judo. 
     O respeito por aquilo que fazemos, constitui a primeira condição e a primeira garantia do valor dos nossos actos. 

1.2. ESPECIFICIDADES 

  • O presente Regulamento de Graduações engloba uma listagem de técnicas reconhecidas pela Federação Internacional de Judo, as técnicas do Gokyo e os Katas reconhecidos pela FPJ. Para o efeito existem uma série de capítulos em que se discrimina a distribuição dessas técnicas pelas diferentes graduações e o modo como se processa a carreira do judoca.
  • A prática do Judo só é reconhecida pela FPJ, aos atletas devidamente federados de acordo com as normas em vigor.
  • As graduações terão a data do seu registo na FPJ. No caso de exames, a data será a do exame, nas graduações por mérito a data do diploma e nas graduações atribuídas por treinadores, a data da sua comunicação, após comprovação do cumprimento das normas e demais regulamentações em vigor.
  • Os treinadores só poderão atribuir graduações de acordo com as normas em vigor, desde que tenham a sua situação regularizada para a época em que estas são atribuídas.
 

 

2. COMPETÊNCIAS E CRITÉRIOS 

    a) DIRECÇÃO DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE JUDO (dFPJ) 
    A Direcção da FPJ tem a competência da ratificação de todas as graduações iguais ou superiores a 1º Dan, atribuídas e / ou reconhecidas através de parecer da Comissão Nacional de Graduações 
    b) COMISSÃO NACIONAL DE GRADUAÇÕES (CNG) 
    A Comissão Nacional de Graduações é nomeada pela Direcção da Federação Portuguesa de Judo. 
    A Associação Nacional de Treinadores poderá propor um elemento à Direcção da FPJ para integrar a CNG., desde que o proposto cumpra com os requisitos individuais necessários para o exercício do cargo. 
    A proposição apresentada deve vir devidamente fundamentada com o Curriculum pessoal do proposto. 
    A Comissão Nacional de Graduações tem por incumbência o seguinte: 
    • Promover, estudar e propor os regulamentos respeitantes à problemática das graduações;
    • Apresentar a proposta de calendarizarão para a realização dos Estágios Técnicos e Exames de Graduação a nível nacional;
    • Analisar e dar parecer à Direcção da FPJ sobre todas as propostas de graduações por mérito, independentemente do proponente;
    • Verificar o cumprimento dos critérios de selecção do Quadro "Carreira do Judoca".
    • Analisar e dar parecer à Direcção da FPJ sobre todas as solicitações de equivalência de graduações obtidas no estrangeiro;

    c) COMISSÃO REGIONAL DE GRADUAÇÕES (CRG) 

    • A CRG é composta por um elemento de cada Comissão Associativa de Graduações de acordo como o Quadro "Síntese das Competências e Critérios" designando entre eles o presidente da Comissão. 
    d) COMISSÃO ASSOCIATIVA DE GRADUAÇÓES (CAG) 
    • Os elementos da CAG serão nomeados pela Direcção da respectiva Associação de acordo com o Quadro "Síntese das Competências e Critérios", designando entre eles o presidente da Comissão. 
    e) TREINADORES 
    • São da responsabilidade dos Treinadores, reconhecidos e revalidados pela FPJ, todas as graduações iguais ou inferiores a 1º Kyu.

   Quadro l - Síntese das Competências e Critérios 
 
TREINADORES
CAG
CRG
CNG
COMPOSIÇÃO
3 elementos
1 elemento de cada CAG no mínimo com 3
5 elementos indicados pela FPJ e 1 pela ANTJ
COMPOSIÇÃO PARA EXAME
2 (CAG) + 1 (CNG)
1 elemento de cada CAG + 1 (CNG)
Todos os elementos da CNG (mínimo 5)
CRITÉRIO DE SELECÇÃO
1º Dan
2º Dan
3º Dan
4º Dan
IDADE MÍNIMA
24 
COMPETÊNCIA
1º Kyu
1º Dan
1º Dan / 2º Dan 
(Exames para 1º Dan pela CRG só com justificação do candidato)
3º Dan
Nº EXAMES
Mínimo 1 
Máximo 2
1
1
FORMAÇÃO CONTÍNUA
Os elementos terão de frequentar 1 das 3 acções específicas a realizar para os elementos das CAG
Os elementos da CRG se frequentarem a acção específica ficarão dispensados da acção para a CAG
ACNG deve frequentar acções internacionais com vista à sua actualização, promovendo os estágios para os restantes elementos da CNG e da CRG
OBSERVAÇÕES
As graduações devem ter em atenção a proposta apresentada no Quadro "Carreira do judoca"
Se a Associação não tiver elementos suficientes para a formação da CAG, a CNG nomeará os restantes
No caso da Região não ter no mínimo 3 Associações, cada uma pode apresentar mais que um elemento para a CRG
Os elementos da CNG só poderão fazer parte do Júri de exame, quando o examinando tiver uma graduação inferior à sua
 

 

3. TECNICAS RECONHECIDAS 

    a) A Federação Portuguesa de Judo reconhece quer o número quer a nomenclatura das organizações internacionais tais como a Federação Internacional de Judo e o Kodokan, pelo que as mesmas poderão ser alteradas ao longo da vigência do actual Regulamento; 
    b) As técnicas reconhecidas pela Federação Portuguesa de Judo são: 
 
NAGE-WASA: 68 técnicas
Te-Waza 
16 técnicas
Ashi-Waza 
21 técnicas
Koshi-Waza 
10 técnicas
Masutemi-Waza 
5 técnicas
Yokosutemi-Waza 
16 técnicas
Ippon-Seoi-Nage Ashi-guruma Hane-goshi Hiki-komi-gaeshi Daki-wakare
Kibisu-gaeshi De-ashi-barai Harai-goshi Sumi-gaeshi Hane-makikomi
Kata-guruma Hiza-guruma Koshi-guruma Tomoe-nage Harai-makikomi
Ko-uchi-gaeshi Hane-goshi-gaeshi O-goshi Tawara-gaeshi Ko-uchi-maki-komi
Kuchiki-taoshi Harai-goshi-gaeshi Sode-tsurikomi Ura-nage O-soto-maki-komi
Moro-te-gari Harai-tsurikomi-ashi Tsuri-goshi . Soto-makikomi
Obi-otoshi Ko-soto-gari Tsurikomi-goshi . Tani-otoshi
Seoi-nage Ko-soto-gake Uki-goshi . Uchi-maki-komi
Seoi-otoshi Ko-uchi-gari Ushiro-goshi . Uchi-mata-maki-komi
Sumi-otoshi Okuri-ashi-barai Utsuri-goshi . Uki-waza
Sukui-nage O-soto-gaeshi . . Yoko-gake
Tai-otoshi O-soto-guruma . . Yoko-guruma
Uchi-mata-sukashi O-guruma . . Yoko-otoshi
Uki-otoshi O-soto-gari . . Yoko-wakare
Yama-arashi O-soto-otoshi . . Kani-basami
Obi-tori-gaeshi O-uchi-gari . . Kawazu-gake
. O-uchi-gaeshi . . .
. Sasae-tsurikomi-ashi . . .
. Tsubame-gaeshi . . .
. Uchi-mata . . .
. Uchi-mata-gaeshi . . .
 
NE-WAZA: 29 técnicas
Osaekomi-waza 
7 Técnicas
Shime-waza 
12 Técnicas
Kansetsu-waza 
10 Técnicas
Kuzure-kesa-gatame Nami-juji-jime Ude-garami
Kata-gatame Gyaku-juji-jime Ude-hishigi-juji-gatame
Kami-shiho-gatame Kata-juji-jime Ude-hishigi-ude-gatame
Kuzure-kami-shiho-gatame Hadaka-jime Ude-hishigi-hiza-gatame
Yoko-shiho-gatame Okuri-eri-jime Ude-hishigi-waki-gatame
Tate-shiho-gatame Kata-ha-jime Ude-hishigi-hara-gatame
Kesa-gatame Do-jime (proíbida) Ashi-garami (proíbida)
. Sode-guruma-jime Ude-hishigi-ashi-gatame
. Kata-te-jime Ude-hishigi-te-gatame
. Ryo-te-jime Ude-hishigi-sankaku-gatame
. Tsukkomi-jime .
. Sankaku-jime .
 
    c) As técnicas constantes do Gokyo são: 
 
  1º kyo 2º kyo 3º kyo 4º kyo 5º kyo
1
De-ashi-harai Kosoto-gari Kosoto-gake Sumi-gaeshi Osoto-guruma
2
Hiza-guruma Kouchi-gari Tsuri-goshi Tani-otoshi Uki-waza
3
Sasae-tsurikomi-ashi Koshi-guruma Yoko-otoshi Hane-makikomi Yoko-wakare
4
Uki-goshi Tsurikomi-goshi Ashi-guruma Sukui-nage Yoko-guruma
5
Osoto-gari Okuri-ashi-harai Hane-goshi Utsuri-goshi Ushiro-goshi
6
O-goshi Tai-otoshi Harai-tsurikomi-ashi O-guruma Ura-nage
7
Ouchi-gari Harai-goshi Tomoe-nage Soto-makikomi Sumi-otoshi
8
Seoi-nage Uchi-mata Kata-guruma Uki-otoshi Yoko-gake
 
    d) KATAS - Séries de técnicas especialmente seleccionadas tendo em vista o estudo aprofundado dos princípios do Judo: 
 
NOME
TEMA
Nage-No-Kata - Formas de projecção
Katame-No-Kata - Formas de controlo
Ju-No-Kata - Formas de suavidade
Kime-No-Kata - Formas de decisão
Itsutsu-No-Kata - Forma dos cinco princípios
Kodokan-Goshin-Jitsu-No-Kata - Formas de defesa para homens
Jujoshi-Yo-Go-Shiho-No-Kata - Formas de defesa para senhoras
Koshiki-No-Kata - Formas antigas
Seiryoku-Zenyo-Kokumin-Tai- Iku-No-Kata - Formas educativas de máxima eficiência
Go-No-Sen-No-Kata - Formas e Contra-Ataque
 

4. CARREIRA DO JUDOCA
 

GRADUAÇÃO
DESCRIÇÃO
IDADE MÍNIMA 
(anos)
TEMPO MÍNIMO
6º Kyu
até 5
3 meses
6
3 meses
   
6 meses
5º Kyu
7
4 meses
8
4 meses
   
8 meses
4º Kyu
9
5 meses
10
5 meses
   
10 meses
3º Kyu
11
6 meses
12
6 meses
   
12 meses
2º Kyu
13
14 meses
1º Kyu
14
2
1º Dan
16
3
2º Dan
19
5
3º Dan
24
6
4º Dan
30
7
5º Dan
37
8
6º Dan
45
10
7º Dan
55
10
8º Dan
65
.
9º Dan
. .
10º Dan
. .
 
 
5. GRADUAÇÕES PELA VIA RÁPIDA 
    a) Todos os judocas (Atletas, Treinadores e Árbitros) que optem pela Via Rápida terão de ter como quadro de referência o seguinte: 
 
GRADUAÇAO
IDADE MÍNIMA 
(anos)
PONTOS
TEMPO MÍNIMO 
(anos)
1º Kyu
14
. .
1º Dan
16
10
1
2º Dan
17
20
1
3º Dan
20
30
3
4º Dan
24
40
4
5º Dan
29
50
5
6º Dan
35
60
6
 
    b) Os candidatos a Exame de Graduação que optem pela Via Rápida, deverão apresentar os dados pelos quais se demonstra a respectiva contabilização dos pontos obtidos. 
    c) Os candidatos que optem pela Via Rápida podem ser isentados de prestar provas em áreas específicas de acordo com o seguinte quadro: 
 
 
ATLETAS
TREINADORES 
*
ÁRBITROS
OUTROS ELEMENTOS
Randori   . . .
Arbitragem .     .
Organização e Regulamentação .   .  
História .   . .
 
    * Os treinadores serão isentados das áreas assinaladas no quadro anterior, no entanto deverão ser tomados em atenção os programas dos cursos que frequentou Se do programa do referido curso não constar determinada matéria, o candidato poderá ser examinado nesta área específica.
    d) Os candidatos só poderão usufruir de uma das opções da Via Rápida, dado que as mesmas são mutuamente exclusiva, não sendo por isso possível acumular pontuações através da utilização de duas opções cumulativamente. 

    ATLETAS a) Só serão contabilizados pontos aos atletas com a graduação igual ou superior a 1º Kyu;b) Por cada vitória será contabilizado 1 (um ponto), em caso de empate nas provas por equipas será contabilizado 1/2 ponto. Esta contabilização é independente da graduação do oponente;c) Não serão contabilizados os pontos obtidos nas provas Internacionais, Tsukinami-Shiai e Kohaku-Shiai;d) Os pontos que os atletas obtiveram pelo antigo Regulamento de Graduações serão contabilizados juntamente com os pontos obtidos pelo actual regulamento.e) Os pontos obtidos pelos judocas nas provas para as quais puderam usar da prerrogativa de não participarem no apuramento prévio para a mesma, serão contabilizados a dobrar. 

    TREINADORES 
    a) Serão contabilizados 10 pontos por cada ano que o Treinador revalide; 
    b) O Treinador para se propor a exame pela Via Rápida tem de ter no mínimo o número de pontos indicado no quadro geral; 

    ÁRBITROS 
    a) Serão contabilizados 10 pontos por cada ano de arbitragem efectiva; 
    b) O Árbitro para se propor a exame pela Via Rápida tem de ter no mínimo o número de ponto indicado no quadro geral; 

    OUTROS ELEMENTOS 
    a) Os elementos a seguir explicitados terão direito a 10 pontos por cada ano que desempenhem as seguintes funções:

    • Os elementos eleitos para a Direcção da FPJ e para as Direcções das Associações
    • Equipa Técnica Nacional (Treinadores, Responsáveis de Sector e Assessores)
    • Comissões de Graduações (Associativas, Regionais e Nacional)
    b) A idade mínima dos elementos supra citados é de 18 anos; 
    c) O quadro de referência para que estes elementos usufruam da Via Rápida é o seguinte:
 
GRADUAÇAO
PONTOS
TEMPO (anos)
1º Kyu
. .
1º Dan
10
1
2º Dan
20
2
3º Dan
40
4
4º Dan
50
5
5º Dan
60
6
6º Dan
70
7
 

6. CONTEUDOS PARA EXAME DE GRADUAÇÃO 
6.1. Exame Técnico 
6.1.1. Randori 

     Todos os  candidatos, até 4º Dan (inclusive), deverão fazer uma prova de Randori, arbitrado por outro candidato, com os seguintes tempos: 
 

ANOS
TEMPO
CONTEÚDOS
<= 30
3 min
Ne-Waza 
Nage-Waza
31 - 40
3 min
Ne-Waza 
Nage-Waza
41 - 50
2 min
Ne-Waza
> 50
2 min
Ne-Waza

 

6.1.2. Técnica Propriamente Dita 

     Todos os candidatos a uma nova graduação deverão dominar os conteúdos técnicos 
correspondentes à graduação para a qual se candidatam. 

     1º DAN 
 

NAGE-WAZA
Te-Waza
Ashi-Waza
Koshi-Waza
Masutemi-Waza
Yokosutemi-Waza
Ippon- seoi-nage Ko-soto-gake Koshi-guruma Sumi-gaeshi Tani-otoshi
Seoi-nage O-soto-gari O-goshi Tomoe-nage Uki-waza
Tai-otoshi Ashi-guruma Tsuri-goshi Ura-nage Yoko-otoshi
Kata-guruma Hiza-guruma Tsurikomi-goshi . Hane-makikomi
Sumi-otoshi Ko-uchi-gari Uki-goshi . Soto-makikomi
Sukui-nage O-soto-guruma Haraí-goshi . Yoko-gake
Uki-otoshi O-guruma Ushiro-goshi . Yoko-guruma
. O-uchi-gari Hane-goshi . Yoko-wakare
. Sasae-tsurikomi-ashi Utsuri-goshi . .
. De-ashi-barai . . .
. Harai-tsurikomi-ashi . . .
. Ko-soto-gari . . .
. Okuri-ashi-barai . . .
. Uchi-mata . . .
 
NE-WAZA
Osaekomi-waza
Shime-waza
Kansetsu-waza
Kuzure-kesa-gatame Nami-juji-jime Ude-hishigi-juji-gatame
Kami-shiho-gatame Gyaku-juji-jime Ude-hishigi-waki-gatame
Yoko-shiho-gatame Kata-juji-jime Ude-hishigi-ude-gatame
Kesa-gatame Hadaka-jime Ude-hishigi-hiza-gatame
Tate-shiho-gatame Okuri-eri-jime .
Kata-gatame Kata-ha-jime .
Kuzure-kami-shiho-gatame . .

    

2º DAN 
 

NAGE-WAZA
Te-Waza
Ashi-Waza
Koshi-Waza
Masutemi-Waza
Yokosutemi-Waza
Moro-te-gari O-soto-gaeshi Sode-tsurikomi Tawara-gaeshi Uchi-maki-komi
Ko-uchi-gaeshi Hane-goshi-gaeshi . . Ko-uchi-maki-komi
Kuchiki-taoshi Harai-goshi-gaeshi . . .
Seoi-otoshi O-soto-otoshi . . .
Uchi-mata-sukashi O-uchi-gaeshi . . .
Kibisu-gaeshi Uchi-mata-gaeshi . . .
 
NE-WAZA
Osaekomi-waza
Shime-waza
Kansetsu-waza
. Kata-te-jime Ude-hishigi-hara-gatame
. Ryo-te-jime Ude-garami
. Sankaku-jime Ude-hishigi-sankaku-gatame

    

3º DAN 
 

NAGE-WAZA
Te-Waza
Ashi-Waza
Koshi-Waza
Masutemi-Waza
Yokosutemi-Waza
Obi-otoshi Tsubame-gaeshi . Hiki-komi-gaeshi Daki-wakare
Yama-arashi . . . Harai-makikomi
. . . . O-soto-maki-komi
. . . . Uchi-mata-maki-komi
. . . . Kani-basami
. . . . Kawazu-gake
 
NE-WAZA
Osaekomi-waza
Shime-waza
Kansetsu-waza
. Do-jime (proíbida) Ude-hishigi-te-gatame
. Tsukkomi-iime Ashi-garami (proíbida)
. Sode-guruma-jime Ude-hishigi-ashi-gatame

 

     4º DAN 

     O candidato deverá responder a questões levantadas pelo Júri de Exame (10 minutos) sobre as técnicas reconhecidas pela FPJ / FIJ. 
     O candidato deverá apresentar por escrito e oralmente (com demonstração) durante 10 minutos, uma técnica à sua escolha. 

     5º DAN 

     O candidato deverá responder a questões levantadas pelo Júri de Exame (10 minutos) sobre as técnicas reconhecidas pela FPJ / FIJ. 
     O candidato deverá apresentar por escrito e oralmente (com demonstração) durante 20 minutos, um estudo sobre um sub-grupo de técnicas (por exemplo: Shio-gatame ou Barai). 

     6º DAN 

     O candidato deverá responder a questões levantadas pelo Júri de Exame (10 minutos) sobre as técnicas reconhecidas pela FPJ / FIJ. 
     O candidato deverá apresentar por escrito e oralmente (com demonstração) durante 30 minutos, um estudo sobre um grupo de técnicas (por exemplo: Osaekomi-Waza ou Ashi-Waza). 

6.2. Exame de Katas 

     O programa do Exame de Graduações referentes aos Katas é: 
 

KATAS
1º Dan 2º Dan 3º Dan 4º Dan 5º Dan 6º Dan
Nage-No-Kata (3) . . . . . .
Nage-No-Kata (5) . . . . . .
Katame-No-Kata . . . . . .
Kime-No-Kata . . . . . .
Kodokan-Goshin-Jitsu-No-Kata . . . . . .
Ju-No-Kata . . . . . .
Koshiki-No-Kata . . . . . .

 

6.3. Exame Geral 

     Todos os candidatos a uma nova graduação deverão ser examinados nas três áreas que se seguem: História, Organização / Regulamentação e Arbitragem. 
     No entanto os candidatos poderão solicitar a sua dispensa a qualquer uma das áreas, desde que apresentem o respectivo currículo dessa mesma área um mês antes da realização dos exames. 
     O processo será analisado pela CNG, informando posteriormente o candidato da decisão de dispensa ou não do exame nessa área. 

6.3.1. História 

     Anexo a este Regulamento será também editado um documento de apoio a nível da História que tem de ser do conhecimento de qualquer candidato a Exame independentemente da Graduação (1º a 6º Dan). 

     1º DAN 

     Os candidatos a 1º Dan deverão dominar os seguintes conteúdos: 

  • História Associativa
  • Data de fundação 
  • Processo de formalizarão (reconhecimento pela AG da FPJ) 
  • Número de Clubes e Atletas 
  • Localização actual 
  • Tipo de Organização 
  • Eventos e resultados mais significativos
     2º DAN 

     Os candidatos a 2º Dan deverão dominar os seguintes conteúdos: 

  • História Regional 
  • Processo de formalizarão de cada Associação da Região (reconhecimento pela AG da FPJ) 
  • Número de Clubes e Atletas por Associação 
  • Localização actual de cada Associação da Região 
  • Tipo de Organização a nível da Região 
  • Eventos e resultados mais significativos
     3º DAN 

     Os candidatos a 3º Dan deverão dominar os seguintes conteúdos: 

  • História Nacional 
  • Datas mais significativas (fundação da FPJ, UPD, etc.) 
  • Número de Clubes e Atletas 
  • Localização actual da FPJ 
  • Tipo de Organização da FPJ 
  • Eventos e resultados mais significativos 
  • Processos de desenvolvimento da modalidade 
  • Processo de formação e desenvolvimento da ANTJ 
  • Processo de formação e desenvolvimento da AAJP
     4º DAN 

     Os candidatos a 4º Dan deverão dominar os seguintes conteúdos: 

  • História Internacional 
  • Datas e eventos mais significativas (fundação da FIJ e UEJ, competições, etc.) 
  • Número de Países 
  • Processos de desenvolvimento
     5º DAN 

     Os candidatos a 5º Dan deverão entregar um documento escrito (entre 3 e 10 páginas, formato A4, processador de texto Word, Times New Roman 12, espaçamento 1 1/2, margens: 3cm à esq. e restantes a 2cm) com a interpretação pessoal do processo de desenvolvimento do Judo em Portugal. 
     Este documento deverá ser entregue um mês antes, da data prevista para os Exames de Graduação 

     6º DAN 

     Os candidatos a 6º Dan deverão entregar um documento escrito (entre 5 e 15 páginas, formato A4, processador de texto Word, Times New Roman 12, espaçamento 1 1/2, margens: 3cm à esq. e restantes a 2cm) com a interpretação pessoal do processo de desenvolvimento do Judo a nível internacional, desde o seu aparecimento até à actualidade. 
     Este documento deverá ser entregue um mês antes da data prevista para os Exames de Graduação 

6.3.2. Organização / Regulamentação 

     A documentação de apoio a esta área é a que a seguir se discrimina: 

  • Estatutos da FPJ 
  • Calendário e Normas 
  • Regulamento de Arbitragem 
  • Regulamento de Graduações 
  • Regulamento Antidopagem 
  • Regulamento da Carreira de Treinador 
  • Regulamento de Publicidade 
  • Regulamento Disciplinar 
  • Normas para a Alta-Competição 
  • Circular / Associações nº l de cada ano 
  • Legislação sobre o Seguro Desportivo 
  • Outra regulamentação entretanto editada
     1º DAN 

     Os candidatos a 1º Dan deverão saber o que regulamenta cada uma das publicações acima mencionadas. 

     2º DAN 

     Os candidatos a 2º Dan deverão dominar com alguma profundidade os seguintes regulamentos: 

  • Calendário e Normas 
  • Normas para a Alta-Competição
     3º DAN 

     Os candidatos a 3º Dan deverão dominar com alguma profundidade os seguintes regulamentos: 

  • Regulamento de Graduações 
  • Circular / Associações nº l de cada ano 
  • Legislação sobre o Seguro Desportivo
     4º DAN 

     Os candidatos a 4º Dan deverão dominar com alguma profundidade os seguintes regulamentos: 

  • Estatutos da FPJ 
  • Regulamento de Arbitragem 
  • Regulamento Disciplinar
     5º DAN 

     Os candidatos a 5º Dan deverão dominar com alguma profundidade os seguintes regulamentos: 

  • Regulamento Antidopagem 
  • Regulamento da Carreira de Treinador 
  • Regulamento de Publicidade
     6º DAN 

     Os candidatos a 6º Dan deverão propostas pertinentes de modelos de desenvolvimento da modalidade através de alterações regulamentares. 
6.3.3. Arbitragem 
     A documentação de apoio a esta área é a que se segue: 

  • Regras de Competição
     1º DAN 
  • Papel e função do árbitro e dos juizes. 
  • Folha de poule, eliminatórias e quadro de repescagens. 
  • Marcadores e cronometristas. 
  • Gestos do árbitro e dos juizes. 
     2º DAN 
  • Área de competição (zona de combate, zona perigosa e zona de segurança). 
  • Equipamento dos combatentes 
  • Aplicação do Matte. 
  • Valores técnicos. 
     3º DAN 
  • Faltas 
  • Assistência médica. 
  • Arbitragem dos combates dos candidatos à obtenção de nova graduação. 
     4º DAN 
  • Aproveitamento na parte teórica no Curso de Árbitros Estagiários. 
 

 

7. FORMAS DE GRADUAÇAO 
7.1. Exame Por Blocos 
     Os candidatos a Exame de Graduação, poderão, por motivos justificados solicitar que o seu exame seja subdividido em dois blocos com as seguintes condições: 

    a) A apresentação da candidatura a esta forma de exame, tal como a apresentação da respectiva justificação deverá dar entrada na FPJ um mês antes da data do exame; 
    b) Independentemente da graduação deverá ser a CNG a fazer a apreciação da solicitação; 
    c) No caso de se verificar a não aprovação a um dos blocos, o candidato apenas terá de repetir a avaliação do bloco a que reprovou. 
    d) O programa para a cada um dos blocos é o seguinte:
 
1º BLOCO
2º BLOCO
1 Kata 1 Kata
Randori Técnica propriamente dita
Arbitragem História
Organização e Regulamentação

 

7.2. Estágios Técnicos Federativos 

     A CNG pode, no final dos Estágios Técnicos Federativos a nível nacional, determinar os participantes, com graduação de 20 Dan ou superior, que ficarão dispensados da execução do(s) Kata(s) nos futuros Exames de Graduação. 

7.3. Candidatos Com Deficiências Físicas 

      Os candidatos que por deficiência física se candidatem a Exame de Graduação, deverão comunicar com seis meses de antecedência a sua pretensão, por forma a que a CNG possa consultar um especialista da área. 
     Este procedimento visa estudar um programa de exame alternativo, que esteja de acordo com a deficiência do candidato. Esta metodologia permitirá que o candidato se prepare atempada e correctamente para o exame a que irá ser submetido. 
     Também é possível a estes candidatos utilizarem o ponto 8.1., por forma a fazerem o Exame de Graduação em dois blocos. 
 


 

8. PROMOÇÕES POR MÉRITO 

     Os judocas cujo palmarés ou serviços prestados à modalidade sejam de extraordinário relevo, poderão vir a ser propostos para a atribuição de uma graduação por mérito. 
Notas
1 - O elemento a ser promovido não pode voltar a ser graduado, nem através de exame de graduação; 
2 - O proposto terá de aceitar a graduação para a qual foi proposto


 

9. EQUIVALÊNCIAS 

     Nas equivalências das graduações obtidas no estrangeiro, é necessário que o requerente não tenha estado inscrito na FPJ nos dois anteriores à data da solicitação. Para o mesmo efeito é necessária a apresentação do documento autenticado e comprovativo, passado por qualquer Federação reconhecida pela Federação Internacional de Judo. 

Inicio desta folha